Tipos_de_AVC__isquemico_e_hemorragico

Perigo Silencioso – AVC

Dr. Sérgio Munhoz

Tipos de AVC

Há basicamente dois tipos de AVC – Acidente Vascular Cerebral também conhecido popularmente como derrame.

  • AVC Isquêmico: Entupimento dos vasos que levam sangue ao cérebro.
  •  AVC Hemorrágico: Rompimento do vaso provocando sangramento no cérebro.

Veja na imagem abaixo como cada um destes tipos de AVC ocorrem:

Tratamento de AVC e prevenção

Há tratamento para as pessoas que sofrem de AVC na maioria dos casos. Não há cura, mas há casos em que a pessoa passa a levar uma vida normal ou com poucas restrições. Na maioria das vezes são bastante danosas as suas complicações – ainda mais em pessoas idosas.

Contudo, é importante dizer que cada caso é um caso, e que as suas particularidades devem ser observadas com cautela. O diagnóstico das condições pós-AVC deve ser feito por um especialista, que também poderá apresentar diversas soluções de tratamento.

A recuperação e a qualidade de vida de uma pessoa vitimada por um derrame dependem do seu tratamento, que deve ser feito por uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde, fisioterapeutas, médicos, psicólogos e demais profissionais. É preciso que seus familiares compreendam que, além de estar entre as principais causas de morte mundiais, o AVC é uma das patologias que mais incapacitam.

O tratamento e as sequelas dependem de qual a região cerebral atingida, bem como de acordo com a extensão das lesões. Se a intensidade for pequena, quase não há sequelas. Se a intensidade for grave, todavia, podem levar as pessoas à morte ou a um estado de absoluta dependência.

O AVC pode causar diversas complicações, como as alterações comportamentais e cognitivas, as dificuldades na fala, as dificuldades para se alimentar, constipação intestinal, epilepsia vascular, depressão e outras implicações decorrentes da imobilidade e pelo acometimento muscular. Como já dissemos antes, o fator tempo – o decorrido entre o início do AVC e o recebimento do tratamento necessário – podem determinar a extensão dos problemas. Por isso, assim que detectados os sintomas, a vítima seja levada imediatamente ao hospital. Os danos são consideravelmente maiores quando o atendimento demora mais de 3 horas para ser iniciado.

Identificando um AVC

Lembre-se da sigla SAMU

Há formas de prevenir o AVC, já que muitos fatores de risco contribuem para o seu aparecimento. Há alguns destes fatores que não podem ser modificados – como a idade, a raça, a constituição genética e o sexo. Entretanto, há aqueles que podem ser diagnosticados e tratados, como é o caso da hipertensão arterial (pressão alta), a diabetes mellitus, as doenças cardíacas, a enxaqueca, o uso de anticoncepcionais hormonais, a ingestão de bebidas alcoólicas, o fumo, o sedentarismo (falta de atividades físicas) e a obesidade.

Existem recursos terapêuticos capazes de ajudar a restaurar funções, movimentos e fala. Em muitos casos, há o envolvimento de fisioterapeutas, médicos, psicólogos e demais profissionais para que se possa garantir mais qualidade de vida à vítima de AVC.

Em breve falaremos sobre tratamentos AVC.

COMPARTILHE ESSE ARTIGO

Dr. Sérgio Munhoz

Dr. Sérgio Munhoz

Com mais de 30 anos de atuação em Medicina, o Dr. Sérgio Munhoz é especialista em Anestesiologia, Dor, Cuidados Paliativos e Termografia Médica e possui doutorado pela Unesp-SP.

Atualmente leciona na faculdade Unoeste e atende em seu consultório, em Presidente Prudente-SP.

Leia outros artigos

Fale conosco