CASOS REAIS: Detecção precoce do cancêr através da Termografia

Dr. Sérgio Munhoz

Quando eu ainda morava e atuava na clínica de dor em Manaus, encaminhava meus pacientes para Campinas e Belo Horizonte para realizarem o exame de Termografia. Após minha conclusão do curso de Termografia, alguns de meus pacientes antigos de Manaus, com quem mantenho contato, começaram a me procurar para fazer o exame e por isso comecei a viajar para Manaus com o intuito de fazer Termografia.

Em uma dessas minhas viagens para Manaus fiz um exame de termografia de rotina em um destes pacientes: um senhor de 60 anos, aposentado, sem nenhuma queixa urinária ou renal, sob controle regular de exame da próstata.

O exame de termografia é feito com a obtenção de inúmeras imagens do corpo todo, pois é necessário explorarmos todos os segmentos do paciente, como cabeça, pescoço, tronco, abdome, membros superiores, inferiores, dorso, genitália, entre outros, para assim possibilitar uma avaliação geral do paciente.

Após  a análise das imagens, pude observar que as imagens da região da genitália eram sugestivas de câncer de próstata. Mas na termografia para somarmos a possibilidade de um resultado mais apurado, especialmente neoplasias, analisamos outras regiões correspondentes à “localização da próstata” na região lombar junto com os marcadores térmicos distribuídos no corpo.

As imagens termográficas apresentaram grandes áreas quentes na área da próstata, sendo assim sugestivas de neoplasia de próstata. O paciente foi então orientado a procurar com urgência seu médico urologista para complementação diagnóstica (os exames convencionais são: PSA, toque retal, ultrassom loja prostática e biópsia).

O paciente não deu atenção a essa urgência e demorou um período de seis meses para a avaliação com o urologista, que solicitou os exames rotineiros (sangue, PSA, ultrassom e ressonância),  e através destes exames, foi confirmado o diagnóstico. Em seguida foi solicitada a biópsia da próstata que realmente mostrou-se positivo para neoplasia.

O paciente realizou então o procedimento cirúrgico para retirada do câncer da próstata com sucesso, exatamente um ano após o diagnóstico obtido na termografia.

Como temos enfatizado nos estudos dos exames de termografia, os diagnósticos são obtidos precocemente, muitas vezes meses até anos antes de outros exames convencionais.

Isso ocorre porque a termografia capta o calor obtido pela produção da energia das células na forma de radiação infravermelha. Em fases iniciais de quaisquer alterações que produzem disfunções, especialmente em cânceres, o número de células é muito grande, acompanhado de imensa rede de vasos sanguíneos, que produzem muito calor na região, antes mesmo da formação de caroços ou massas (que levam meses ou até anos até serem visíveis nos exames de ultrassom e ressonância).

Por esse motivo, recomendo o exame de Termografia para todos meus pacientes, independentemente de idade, sexo, doenças anteriores ou quaisquer outros fatores.

 

COMPARTILHE ESSE ARTIGO

Dr. Sérgio Munhoz

Dr. Sérgio Munhoz

Com mais de 30 anos de atuação em Medicina, o Dr. Sérgio Munhoz é especialista em Anestesiologia, Dor, Cuidados Paliativos e Termografia Médica e possui doutorado pela Unesp-SP.

Atualmente leciona na faculdade Unoeste e atende em seu consultório, em Presidente Prudente-SP.

Leia outros artigos

Fale conosco