158831828_wide

As dores mais comuns na gravidez

Dr. Sérgio Munhoz

Seja para as mamães de primeira viagem ou as mães que já tem outros filhos, algumas dores são comuns na gravidez, afinal são muitas mudanças no corpo, com esse artigo, vamos descobrir  quais dores são mais comuns e o que fazer com cada uma delas.

A gestação provoca uma transformação no corpo da mulher de forma geral, algumas gestantes apresentam dores comuns provocadas por esse período e outras não. Vale ressaltar que o estilo de vida da mulher pode interferir de forma negativa em toda gravidez, isso porque algumas mulheres fazem dupla jornada, com uma alimentação inadequada e rotina muito cansativa e mantém o mesmo estilo na gestação o que sobrecarrega ainda mais o organismo.

Portanto, não é porque algumas dores são esperadas que não precisa ser relatada ao médico. Partimos do ponto que dor nunca é normal, mesmo que compatível ou esperada para o período da gravidez ainda assim não é agradável e mercê atenção do médico e tratamento adequado.

Com os cuidados certos, a maioria das dores pode ser evitada ou suavizada com a conduta correta.

Dor nas Mamas

Devido à liberação de um hormônio chamado prolactina, nos primeiros três meses de gestação é normal às mamas ficarem bem doloridas, o aumento e densidade dos seios também é um fator para provocar desconforto e dores. De acordo com a ginecologista Telma Zakka, do SBED (Sociedade Brasileira para Estudo da Dor) uma forma eficiente de amenizar o problema é sempre optar por um sutiã adequado, com alças mais largas e maior sustentação.

Dor lombar (dor nas costas)

Em média 75% das gestantes apresentam dor nas costas, em especial na região lombar. Nesse caso, quanto maior o peso, maior o desconforto e o adequado é que o ganho de peso na gestação seja moderado e de acordo com o indicado pelo seu médico, além de ter uma postura adequada seja no ambiente de trabalho ou em casa. Uma vez que a dor já está instalada, não precisa sofrer, busque por massagens localizadas, técnicas como acupuntura e RPG, compressas com bolsa de água morna, no geral, trazem excelentes resultados. O uso de analgésicos é geralmente a ultima alternativa e sempre indicado pelo seu médico.

Dor na Pélvis

Ao final da gestação a mulher ganha entre 5,5 e 7 kg, o bebê tem em média 3,5 kg, a placenta 1kg e o liquido amniótico 1kg e em alguns casos ainda tem os quilinhos extras adquiridos durante a gravidez.  Com o nome de pubalgia (dor na pélvis especificamente na sínfise púbica) acomete cerca de 57% das mulheres e essa região só ganhará um alívio próximo ao parto, quando a estrutura torna-se maleável para a passagem do bebê.

Dor de Cabeça

O tipo de dor de cabeça mais comum na gestação é relacionada a postura da coluna que acaba prejudicando o pescoço e resultando em cefaleia. Com as preocupações naturais em torno da gravidez, também pode deixar as mulher mais propensas a terem dores de cabeça, mas não é uma regra, nem todas as gestantes tem dor de cabeça na gestação. Nunca opte pela automedicação que pode entre outros problemas, causar uma má formação no bebê.

 

Cólicas

No geral, ligamos cólica a menstruação, mas ela pode surgir também na gravidez, em especial no primeiro trimestre e costuma assustar as grávidas por medo de perder o bebê, na verdade esse tipo de dor está mais relacionado ao aumento do útero e gases intestinais que provocam distensão, nesses casos, um banho quente, o intestino regular ou usando um analgésico apropriado (indicado pelo médico). Se ainda assim a dor persistir, for muito intensa, acompanhada de sangramento ou com um período certo, é fundamental buscar ajuda, depende da época da gestação pode ser um aborto ou indicio de parto prematuro.

Dor nas Articulações

Pode ocorrer em algumas gestantes, inchaço nas  articulações e retenção de líquidos o que costuma provocar bastante incomodo, nesse caso é importante relatar o que acontece para o seu médico para que ele possa avaliar os riscos e o que de fato está acontecendo, o ideal é sempre prevenir, com exercícios físicos adequados, dieta equilibrada e com pouco sal e cuidado redobrado no final da gestação.

Dor nas Pernas e Câimbras

Em ambos os casos, o peso é o vilão, para buscar o equilíbrio do corpo devido a gestação a postura das pernas, também é alterada e já ficam bem doloridas devido a essa mudança e com uma sobrecarga dos músculos, o útero também pressiona a veia cava, que dificulta a circulação provocando uma retenção de líquidos. Também é importante verificar se as câimbras noturnas não estão sendo causadas por falta ou desequilíbrio de minerais como magnésio e cálcio, alongamentos antes de dormir, alimentação variada com frutas e verduras, descansar as pernas para cima, por cerca de 20 a 30 minutos costumam amenizar o problema.

Na dúvida, sempre procure orientação médica.

COMPARTILHE ESSE ARTIGO

Dr. Sérgio Munhoz

Dr. Sérgio Munhoz

Com mais de 30 anos de atuação em Medicina, o Dr. Sérgio Munhoz é especialista em Anestesiologia, Dor, Cuidados Paliativos e Termografia Médica e possui doutorado pela Unesp-SP.

Atualmente leciona na faculdade Unoeste e atende em seu consultório, em Presidente Prudente-SP.

Leia outros artigos

Fale conosco